A história

João Henrique Melo Cota, atual proprietário da marca e fábrica do queijo, percorreu um longo caminho para fazer do Queijo Vaquinha aquilo que é hoje.

Começou por ser criador de gado, fornecendo, mais tarde, o leite para o artesão do antigo queijo Vaquinha, produzido em Santa Bárbara. Sendo o volume de produção muito reduzido, o queijo corria o sério risco de desaparecer. Antevendo o sucesso do queijo Vaquinha, efetuou uma proposta e adquiriu a patente, assim como todo o conhecimento no seu fabrico. E foi assim que tudo começou.

Em 1998 abre a primeira queijaria, numas instalações provisórias onde as condições e o controlo de qualidade do fabrico estavam longe das que são apresentadas atualmente. Com o objectivo de melhorar a qualidade e aumentar a variedade dos tipos de queijo, resolve investir e reabre em abril de 2002. O queijo cru é substituído pelo queijo pasteurizado e surgem três novos tipos de queijo Vaquinha.

Atualmente, João Cota tem uma exploração agrícola, gerida pelo seu filho. O leite tem como destino a produção dos seus queijos, o que leva a um total controlo de qualidade do leite logo no início da sua produção.

O processo do fabrico artesanal do queijo começa pela mão de João Cota, que trata da pasteurização do leite, e termina nas mãos da esposa e cunhada que, diariamente, fazem o queijo Vaquinha.